DIÁRIO DIGITAL

“ São abordadas algumas questões gerais do plano da política internacional e das relações entre os povos, como o período após a guerra-fria, em que os EUA se afirmam como a única potência hegemónica mundial, na sequência do desmembramento da URSS e países satélites.
No cenário, uma série de monitores televisivos exibem imagens do mundo, dos indivíduos e das sociedades, que dão a impressão de estarmos no centro do Universo, num plano acima do real, supervisionando grandes eventos da História e da actualidade. No espaço central, no fundo do palco, um Atlas gigante vai sendo preenchido pelos actores com diversos post-its com fotografias, palavras ou símbolos, alusivos a marcos históricos, que são colados em pontos-chave do mapa-mundo.
Em simultâneo, são disponibilizados headphones em cada lugar na plateia, que os espectadores colocam quando se acende uma luz, especialmente colocada para o efeito.
Desta forma, é possível acompanhar um conjunto de informações auditivas que complementam o suporte visual.”


"Pedro Resendes (Diário Digital)"