PATHOS
De Cátia Pinheiro e José Nunes (2019)
  • Pathos
SINOPSE

PATHOS é uma criação da Estrutura (Cátia Pinheiro & José Nunes), com a colaboração dramatúrgica de Diogo Bento.

PATHOS é uma viagem à Grécia que nunca chegou nem chegará a terminar. Aliás, o título invoca desde logo a língua e a civilização gregas. De certa forma, é a partir da convocação de um suposto início, da lembrança de uma ideia de humanidade (a da Grécia Antiga enquanto berço da civilização ocidental, da democracia, da filosofia e do teatro) que os criadores, céticos face ao nó cego civilizacional a que chegámos, medem o pulso do nosso tempo.

PATHOS é uma tragédia. Uma ruína. Um espetáculo-ruína que anseia desesperadamente pelo seu anunciado fim. O ponto onde as nossas crenças num “mundo melhor” se diluem e apagam nos sinais políticos e ambientais, no crescimento de fundamentalismos e intolerância que caracterizam os nossos dias. Olhamos para este mundo em construção quase como quem olha para uma profecia com um final trágico, antevendo desde logo a desgraça e o sofrimento. O PATHOS.

PATHOS é o resultado deste olhar sobre uma certa ideia de humanidade à mistura com o legado clássico teatral que herdámos e que carregamos como um fardo. Como se fôssemos Sísifo: ora o empurrando até ao cume da montanha, ora o deixando rolar sozinho pelo monte abaixo. Ao fardo. E a toda e qualquer ideia de civilização.

PATHOS é uma criação em cinco atos. Cinco momentos. Cinco partes trágicas cuja unidade de ação se resume ao aqui e agora onde vivemos em confronto com o século V a.C. Esse tempo mítico de Ésquilo, Sófocles e Eurípides. E de todos os outros que foram esquecidos.

FICHA ARTÍSTICA
  •   CRIAÇÃO*: Cátia Pinheiro e José Nunes
  •   COLABORAÇÃO DRAMATÚRGICA*: Diogo Bento
  •   INTERPRETAÇÃO: Cátia Pinheiro, Mafalda Banquart, Margarida Carvalho e Tiago Jácome
  •   DESENHO DE LUZ: Daniel Worm d’Assumpção
  •   CENOGRAFIA: Cátia Pinheiro
  •   SOM: Vasco Rodrigues
  •   FIGURINOS: Jordann Santos
  •   ASSISTÊNCIA À CRIAÇÃO: Tiago Jácome
  •   ASSISTÊNCIA DE DESENHO DE LUZ E APOIO TÉCNICO: Pedro Nabais
  •   ASSISTÊNCIA DE FIGURINOS: Clementina Delgado
  •   PRODUÇÃO EXECUTIVA: Ana Lopes
  •   COPRODUÇÃO: Estrutura e Teatro Nacional São João
  •   APOIO: República Portuguesa | DGARTES – Direção-Geral das Artes
  •   CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: M/16
  •   DURAÇÃO APROXIMADA: 1h15
  •   AGRADECIMENTOS: Teatro Municipal do Porto, Armazém 22, Teatro Universitário do Porto, Teatro Praga, André e. Teodósio, Carlos Mota, Paulo Correia, Lurdes Ribeiro, Pedro Santos, Inês Réfega, Ricardo Costa e André Godinho

* textos de Cátia Pinheiro, Diogo Bento, José Nunes com excertos de Édipo Rei e Antígona de Sófocles, Prometeu Agrilhoado e As Suplicantes de Ésquilo, Medeia e Eletra de Eurípedes

CALENDARIZAÇÃO

Local:

Teatro Carlos Aberto

Datas e Horário:

10, 11 e 12 de Abril de 2019 às 21h e 13 de Abril de 2019 às 19h